©
You belong with me
"Tenho um dragão que mora comigo. Não, isso não é verdade. Não tenho nenhum dragão. E, ainda que tivesse, ele não moraria comigo nem com ninguém. Para os dragões, nada mais inconcebível que dividir seu espaço - seja com outro dragão, seja com uma pessoa banal feito eu. Ou invulgar, como imagino que os outros devam ser. Eles são solitários, os dragões. Quase tão solitários quanto eu me encontrei, sozinho neste apartamento, depois de sua partida. Digo quase porque, durante aquele tempo em que ele esteve comigo, alimentei a ilusão de que meu isolamento para sempre tinha acabado. E digo ilusão porque, outro dia, numa dessas manhãs áridas da ausência dele, felizmente cada vez menos freqüentes (a aridez, não a ausência), pensei assim: Os homens precisam da ilusão do amor da mesma forma que precisam da ilusão de Deus. Da ilusão do amor para não afundarem no poço horrível da solidão absoluta; da ilusão de Deus, para não se perderem no caos da desordem sem nexo." - Caio Fernando Abreu.
Quem é gordo(a) rebloga.

Aprendam que dinheiro não define caráter, dinheiro não define amor. Dinheiro não compra tudo. Você não pode sair falando as coisas que pensa sem imaginar como o outro deve se sentir. Você define alguém por classe social? Você acha que o dinheiro é eterno? Acha que ele será lembrado quando você morrer? Ou vai ser teu nome, e o que você fez? Você se julga melhor do que alguém pelo simples fato de ter um objeto melhor do que a outra pessoa? Você acha que dinheiro te faz melhor do que alguém? Você acha que pode sair julgando os outros pelo simples fato de ter coisas melhores? Você já parou pra ver seu interior alguma vez? Já tentou entender os outros? Já viu a luta de alguém que batalha pra ter algo novo? Já tentou se igualar as pessoas? Já viu que o dinheiro acaba algum dia? Você acha que é certo quando você fala mal das pessoas pelo simples fato de não ter algo de marca? Então você está errado, seja humilde… A coisa que você mais deve preservar é o seu interior. Hoje, é mais valorizado um carro do que seu caráter.

Eles não botam fé nessa parada de que errar é humano.
E então uma “pessoa” entra na sua vida e muda totalmente o conteúdo do seu tumblr.

Tem noção de como eu esperei pelo dia de ver você e acabar com toda essa distância?

E olha eu aqui, mais uma vez escrevendo algo que possa demonstrar o tamanho da bagunça do meu coração, da minha cabeça, de mim. E mais uma vez, eu me culpo pelo errado, eu não lembro do que fiz de certo. Sabia que eu admiro cada parte do teu sorriso? Admiro cada parte sua, acho linda a forma que você fala, a forma que você olha, a forma que você diz ”oi”, sabia que eu reparo até nas suas meias? E fico chateda quando alguém olha pra você com outras intenções? Sabia que eu vejo tuas redes socias e fico triste quando vejo alguma foto de você com uma menina abraçados? Que eu vejo o perfil da sua mãe, do seu irmão e do teu pai pra ver se tem novas fotos, novos comentários. Eu admiro a tua vida, a tua força, admiro tudo teu. Sabe por que? Quando a gente gosta, a gente cuida, a gente tenta cuidar, só falta espaço pra deixar que isso aconteça. Eu não sei bem o que a gente tem, nem mesmo preciso saber, pra mim já ta bom, menos aquela angustia de saber que no teu perfil não terá ”em um relacionamento sério” e nem no meu. E uma angustia também de ver no teu perfil e ver ”em um relacionamento sério” com outra pessoa. E eu me embolei toda, porque quando o assunto é você, aí me complica.